Comunidades quilombolas

prog_quilom_capa

O Programa Comunidades Quilombolas foi criado em 2004 e tem tido como palco de atuação a região do médio Vale do Ribeira, a mais importante área de Mata Atlântica remanescente no Brasil. Situado entre as regiões sudeste do Estado de São Paulo e o leste do Estado do Paraná, o Vale do Ribeira apresenta florestas preservadas e uma rica sociobiodiversidade, além de apresentar um importante manancial de água para a região mais populosa do país. No entanto, o Vale do Ribeira também apresenta os piores índices de desenvolviemnto humano do Estado de São Paulo e é uma região marcada por conflitos socioambientais. São por esses motivos e por ser o lar de muitos dos povos e comunidades tradicionais do Estado, sobretudo os quilombolas, que a Ocareté elegeu este como o seu território de atuação junto a esses povos. 

O objetivo do programa é a defesa dos direitos e a construção coletiva da autonomia das comunidades quilombolas do médio Vale do Ribeira por meio de instrumentos como monitoramento socioambiental participativo, diagnósticos participativos locais, formação dos atores locais e defesa etnoambiental e resolução de conflitos socioambientais e étnicos. As linhas de ação se fundamentam em práticas de educação popular com jovens, crianças e adultos, uma agenda de mobilizações locais e regionais, e atividades de defesa de direitos sociais e territoriais coletivos. 

Projeto Quilombo de André Lopes

O projeto buscou trabalhar a saúde numa perspectiva social e ambiental, levando-se em conta as especificidades culturais, com o objetivo de criar experiências populares para um modelo de saúde pública quilombola, construído de forma endógena e coletiva. Nesse sentido, realizamos atividades de pedagogia popular com grupos de crianças, jovens e adultos, além de um trabalho com agentes comunitárias de saúde da equipe do Programa Saúde da Família (PSF), e parceria com a Pastoral da Criança na região. Fizemos também um trabalho de diálogo intergeracional para revitalização das tradições e lutas históricas dos quilombos. Também criamos oficinas teatrais e cursos de formação e prática em Teatro Fórum, tanto para trabalhar a arte como expressão e doadora de sentido quanto para gerar um processo de conscientização crítica coletiva.

Mobilizações locais e regionais e advocacy

Nossa atuação atingiu amplitude mais regional na medida em que nos envolvemos com as comunidades quilombolas, indígenas, caiçaras e de assentados rurais do Vale do Ribeira, engrossando as fileiras nas mobilizações a favor de um outro modelo de desenvolvimento para a região e em defesa do Rio Ribeira, junto ao Movimento dos Ameaçados por Barragens (MOAB), regional do Movimento de Atingidos por Barragens (MAB) e outras organizações. Passamos a atuar tanto em campo, tocando nossos projetos e ações comunitárias, quanto no nível político, em audiências públicas, na Frente Parlamentar Pró-Quilombola, na Secretaria de Justiça e Cidadania do Estado de São Paulo, em assembléias e manifestações populares.

Mapa das comunidades quilombolas do Estado de São Paulo (Fonte: Itesp)
Mapa das comunidades quilombolas do Estado de São Paulo (Fonte: Itesp)
Situação das comunidades quilombolas de SP em 2007 (Fonte: Itesp)

(Fonte: Itesp - itesp.sp.gov.br/br/info/publicacoes/boletim36.aspx)